Frases de Clarice

18 curiosidades sobre a vida e a obra de Clarice Lispector – NotaTerapia

Para celebrar os 100 anos de nascimento de Clarice Lispector, completados no próximo dia 10, a Folha de São Paulo publicou recentemente uma série de matérias especiais sobre a escritora. Em uma delas selecionou dez frases da escritora, conhecida também pela sua habilidade com as máximas curtas e diretas. Confira:

“Continuo sempre me inaugurando, abrindo e fechando círculos de vida, jogando-os de lado, murchos, cheios de passado.”Perto do Coração Selvagem

“Escrever sempre me foi difícil, embora tivesse partido do que se chama vocação. Vocação é diferente de talento. Pode-se ter vocação e não ter talento, isto é, pode-se ser chamado e não saber como ir.”A Descoberta do Mundo

“Quem já não se perguntou: sou um monstro ou isto é ser uma pessoa?”A Hora da Estrela

“Escrevo como se fosse para salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida.” Um Sopro de Vida

“Não quero ter a terrível limitação de quem vive apenas do que é passível de fazer sentido. Eu não: quero é uma verdade inventada.” Água Viva

“A loucura é vizinha da mais cruel sensatez.”Aprendendo a Viver

“Mas existe um grande, o maior obstáculo para eu ir adiante: eu mesma. Tenho sido a maior dificuldade no meu caminho. É com enorme esforço que consigo me sobrepor a mim mesma.”Um Aprendizado ou o Livro dos Prazeres

“Não muda nada. Escrevo sem esperança de que alguma coisa que eu escreva possa mudar o que quer que seja. Não muda nada.” Entrevista ao programa “Panorama”

“Liberdade é pouco. O que desejo ainda não tem nome.”Perto do Coração Selvagem

“Escrevo simplesmente. Como quem vive. Por isso todas as vezes que fui tentada a deixar de escrever, não consegui. Não tenho vocação para o suicídio.” Depoimento a Olga Borelli.

O tempo de Louise

Esta imagem possuí um atributo alt vazio; O nome do arquivo é llama-in-times-square.jpg
Foto: Inge Morath – A Llama in Times Square. New York. 1957 – Magnum

Certa vez olhamos para o mundo, na infância./ O resto é memória.

Versos da prêmio Nobel de Literatura deste ano, a americana Louise Glück, destacados em artigo assinado pelo poeta e doutor em Letras, Pedro Gonzaga, no Estadão.

O que virá?

Noam Chomsky: ''existe o risco iminente de uma guerra civil nos Estados  Unidos'' - Carta Maior
Foto: cartamaior.com.br

O que muda no mundo pós-pandemia segundo um dos mais conhecidos intelectuais norte-americanos da atualidade, o filósofo e linguista Noam Chomsky. A resposta abaixo faz parte de entrevista ao repórter André Cáceres, de O Estado de SP, publicada no Aliás.

“Cabe a nós determinar. Há forças trabalhando por objetivos muito diversos. A pandemia, como outras crises com as quais nos deparamos, tem profundas raízes em instituições de poder, em particular na ordem neoliberal que foi imposta pelos últimos 40 anos pelo poder privado e pelos governos que servem aos seus interesses. Eles estão trabalhando duro para garantir que o que emergirá será uma versão mais austera e autoritária do que eles criaram. Forças populares por todo o mundo estão tendo dificuldades para superar a crise e criar uma ordem social mais livre e justa. Quem vai prevalecer é uma questão de ação, não de especulação.”

Os EUA pelo olhar de Auster

Paul Auster: "We were never a democracy" - Teller Report
Foto: Teller Report

“Vivemos em sociedade, todos dependemos uns dos outros. E que as pessoas possam ser tão egoístas e irracionais a ponto de imaginar que são imunes ao que acontece com as pessoas ao seu redor é parte de uma espécie de loucura política que tomou conta deste lugar.”

Paul Auster sobre a situação atual nos Estados Unidos em entrevista recente à BBC (https://www.bbc.com/portuguese/internacional-54068915).