Sobre opiniões divergentes

The EyeDate – 1932/35, do belga René Magritte

“São talvez as vantagens de nosso tempo que trazem consigo um retrocesso e uma ocasional subestimação da vita contemplativa. […] Como falta tempo para pensar e tranquilidade no pensar, as pessos não mais ponderam as opiniões divergentes: contentam-se em odiá-las. Com o enorme aceleramento da vida, o espírito e o olhar se acostumam a ver e julgar parcial ou erradamente, e cada qual semelha o viajante que conhece terras e povos pela janela do trem.”

Nietzsche (1878)

Sobre a ciência

Imagem: TechTudo

“A ciência é a tentativa de fazer com que a diversidade caótica da nossa experiência sensível corresponda a um sistema lógico uniforme de pensamento”.

Einstein, 1950. Citado no capítulo “Os meios e os fins da Ciência”, de “O Livro das Citações”, de Eduardo Giannetti.

Giannotti coteja Martin e Ludwig

Saindo, pela Companhia das Letras, Heidegger/Wittgenstein – Confrontos, uma obra combativa, segundo apresentação da editora, que põe no ringue dois dos principais filosófos do século passado. Assinado pelo professor emérito da Universidade de São Paulo, José Arthur Giannotti, o livro aborda os confrontos e as surpreendentes proximidades entre o intelectual alemão e o austríaco, naturalizado britânico. O primeiro é associado a uma vertente fundacionista da filosofia, na qual a pergunta pelo ser – por seu significado, por seu fundamento – tem papel de destaque. Já para Wittgenstein, a pergunta pelo fundamento deve ser substituída pelas condições em que se dá a pergunta.

Horácio monumental

Imagem do blog listasliterarias.com

“Ergui um monumento mais duradouro que o bronze, mais elevado que as pirâmides dos reis. Nem a chuva cortante nem o vento devastador; nem a sequência inumerável dos anos nem a passagem das eras conseguirão destruí-lo. Não morrerei de todo, pois de Libitina [deusa da morte] grande parte de mim escapará”.

Horácio (Sec. I A.C), em “O Livro das Citações”, de Eduardo Giannetti