Clarice faz 100 anos

Para quem não teve oportunidade de acompanhar a estreia, concerto comandado por Beatriz Azevedo e Moreno Veloso, que marca a inauguração da biblioteca Clarice 100 Years na Universidade Princeton. Falecida em 9 de dezembro de 1977 no Rio de Janeiro, a escritora Clarice Lispector faria 100 anos no próximo dia 10.

Sophia Loren retorna em história de Romain Gary

Uma das maiores atrizes da história do cinema mundial está de volta às telas em novo filme adaptado de “A Vida pela Frente”, de Romain Gary – publicado aqui no ano passado pela Todavia. Afastada do cinema desde “Nine”, de Rob Marshall (2009), Sophia Loren, 86 anos, retorna em atuação comovente como Madame Rosa em “Rosa e Momo”. Dirigida pelo filho Edoardo Ponti, ela vive uma prostituta judia que inicia uma amizade singular com um garoto senegalês, imigrante e órfão. A nova versão da história escrita por Gary, que já havia sido adaptada para o cinema em 1978 pelo israelense Moshe Mizrahi no filme “Madame Rosa – A Vida pela Frente”, já está disponível no Netflix.

O livro, lançado sob o pseudônimo de Émile Ajar, foi publicado na França em 1975 e rendeu ao escritor um feito ainda hoje inédito: foi o único na história premiado duas vezes com o Goncourt, principal distinção literária do país.

Pequenos leitores ganham novo canal no Youtube

Vídeo do canal LetrinhaZ

Em uma iniciativa do grupo Companhia das Letras, já está disponível no Youtube o Canal LetrinhaZ que une os selos infantis Companhia das Letrinhas e Pequena Zahar. A plataforma concentra em um só lugar conteúdos audiovisuais como booktrailers, contação de história, séries temáticas e bate-papos sobre o universo do livro infantil. Acesso pelo link https://www.youtube.com/channel/UCjfGJJCC_dTlL1SUHZWXKvA/featured.

A peste da insônia

O diretor e produtor venezuelano Leonardo Aranguibel disponibilizou, de forma gratuita, seu curta-metragem “La Peste del Insomnio”, onde astros do cinema latino-americano lêem trechos de “Cem Anos de Solidão”, do colombiano Gabriel García Márquez. Na história, a fictícia Macondo enfrenta uma epidemia de insônia, que leva os moradores ao desespero e à adoção das mais diferentes técnicas e remédios para conseguirem adormecer. Nada funciona e outra peste ainda pior, a do esquecimento, toma conta da cidade. O filme, segundo a Fundação Gabo, evoca a esperança em meio à crise sanitária e econômica desencadeada pela Covid-19. Participam do projeto nomes de diferentes países do continente, como o argentino Ricardo Darín e a brasileira Alice Braga.